Projetos

Projetos de Extensão

 

Coordenadora: Profa. Dra. Kellys Regina Rodio Saucedo

Parceria: Secretaria Municipal de Educação, Esporte, Cultura e Lazer de Ponta Porã.

Resumo: O presente curso de extensão teórico-prático tem por finalidade analisar fundamentos teórico-metodológicos em múltiplas linguagens a partir das várias áreas do conhecimento que compõem a Base Nacional Comum Curricular junto aos professores da rede municipal de ensino de Ponta Porã-MS. Os encontros serão realizados virtualmente e a transmissão se dará por meio do Canal UFMS-Campus de Ponta Porã no Youtube, entre os meses de: novembro e dezembro de 2022. Participam da ação professores do Curso de Pedagogia – Licenciatura (CGL/PED/CPPP) e convidados externos.

Público-alvo: Professores que atuam na rede municipal de Ensino Fundamental, Anos Iniciais e Educação Infantil.

Maiores informações: Acesse a Página do Projeto.

Coordenador: Lauro Maycon Fernandes Ferreira (Docente)

Resumo: O Projeto visa resgatar e valorizar a cultura fronteiriça com acervo de exemplares de plantas que são de costume utilizada nas rodas de Tereré. Havendo promoção da integração de cursos da UFMS com a comunidade e no currículo acadêmico a ampliação de vertentes de conteúdos de temas transversais da Inter, multi e pluridisciplinaridade na formação acadêmica.

Coordenadora: Cláudia Carreira da Rosa (Docente)

Resumo: A matemática é conhecida e utilizada pela humanidade desde os tempos mais remotos para diferentes fins, mas mesmo assim, tem pessoas que acreditam que a “matemática escolar” é diferente da “matemática cotidiana” e que, o que se aprende na escola não se usa no dia a dia. Esse fato acaba por contribuir para a visão que em geral as pessoas tem sobre a matemática, como sendo “algo muito difícil de se aprender”. Tal visão pode ser mudada com a proposta de um trabalho criativo, que possibilite a integração entre a teoria e a prática, entre o abstrato e o concreto. O laboratório de matemática é um espaço equipado com materiais que estimulem a compreensão do conteúdo matemático, despertando o interesse do aluno ao mostrar a aplicabilidade e a “matemática real” implícita na abstração. Outro fator importante é a questão referente à interação entre escola/universidade e vice versa.

Coordenadora: Cláudia Carreira da Rosa (docente)

Resumo: Na sociedade atual o acesso à Informática configura-se como um direito de todos. Assim as pessoas podem e devem usufruírem de uma educação em que, a alfabetização tecnológica esteja incluída, não como um curso de Informática apenas, mas sim, como uma forma de aprendizado que seja capaz de efetuar uma nova leitura de mundo. O presente projeto tem como objetivo principal, levar o conhecimento de informática básica para funcionários não docentes das escolas públicas de Ponta Porã, com o intuito de auxiliar e possibilitar a participação dos mesmos no projeto de qualificação profissional Pro-funcionário de Ponta Porã’ que é semi-presencial, o que torna indispensável conhecimentos básicos de informática.

Coordenador: Amaury Antônio de Castro Junior

Resumo: O projeto visa promover a inclusão digital por meio da capacitação de um grupo de alunos (graduandos de baixa renda das áreas das Ciências Exatas e Tecnológicas) para a tarefa de programação de robôs. A programação envolve a realização de atividades básicas como movimentação e desvio de obstáculos, bem como para a elaboração de materiais didáticos como manuais e atividades direcionadas, a serem utilizadas em cursos de Iniciação a Robótica para crianças e/ou a inserção de tais atividades no contexto de outras disciplinas como matemática e física. Portanto, as atividades também possibilitam a interdisciplinaridade com a área de educação e psicologia, no que diz respeito ao uso de robôs (brinquedos) e das novas tecnologias no processo de formação e desenvolvimento do raciocínio lógico e matemático. A importância do projeto está em garantir que tais alunos tenham as mesmas condições de igualdade e possam produzir materiais didáticos, técnicos e científicos relacionados à área de robótica, como artigos científicos, experimentos, manuais de utilização e diversos outros materiais. Além disso, espera-se que tais ferramentas possam auxiliar os alunos de maneira a reduzir a evasão dos cursos da área das Ciências Exatas e Tecnológicas da UFMS.

Coordenador: Anderson Correa de Lima

Resumo: O termo NERDS é a sigla do Núcleo de Educação, Recreação e Desenvolvimento Social da fronteira. O Programa surgiu na cidade de Ponta Porã, fruto da integração das ações de extensão propostas por servidores e acadêmicos do CPPP/UFMS. Os NERDS possuem o estereótipo de pessoas que exercem intensas atividades intelectuais e nutrem grande fascínio por conhecimento e por tecnologia. Aproveitando-se desse estereótipo e da oferta de cursos na área das ciências exatas e tecnológicas em outras unidades da UFMS, frutos da expansão da oferta do ensino superior através do REUNI, esta proposta apresenta-se como uma alternativa na busca e preparação de talentos nestas áreas, contribuindo com a melhoria da formação no estado de Mato Grosso do Sul. Um dos grandes desafios dessa proposta é despertar nos alunos do ensino fundamental e médio, o interesse e a motivação pelo estudo da matemática, como base para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. A proposta pretende utilizar os recursos humanos e de infraestrutura das unidades da UFMS para a realização de cursos de idiomas, de xadrez, de música e outros eventos e atividades que promovam o ensino da matemática, da computação, visando o desenvolvimento do raciocínio e outras habilidades e competências relacionadas. A parceria entre o CPPP/UFMS, a Prefeitura Municipal de Ponta Porã e as demais instituições incluídas nessa proposta serve de modelo para as demais unidades da UFMS que oferecem cursos nestas áreas. Além disso, atualmente, considerando o grande número de órgãos e instituições públicas e o crescimento do número de pequenas empresas e organizações do setor privado favorecem a expansão do programa e a sua execução nas demais unidades da UFMS. Portanto, esta proposta pretende difundir o NERDS entre outras unidades da UFMS que ofereçam cursos nas áreas de exatas e tecnológicas, tais como nas cidades de Coxim (NERDS do Taquari), Campo Grande (NERDS da Capital), Corumbá (NERDS do Pantanal) e Três Lagoas (NERDS do Bolsão).

Coordenadora: Luciene Cléa da Silva
Resumo: O referido projeto tem por objetivo oferecer aos educandos das séries iniciais do Ensino Fundamental das escolas municipais de Ponta Porã e Sanga Puitã atividades complementares ao processo de ensino-aprendizagem, com o intuito de trabalhar temas diversos, tais como o letramento e o letramento matemático, o estudo acerca do espaço onde vivem, sobre os valores humanos, as relações pessoais estabelecidas dentro e fora das escolas, o uso das novas tecnologias educacionais, dentre outros, buscando adequar-se sempre às necessidades e especificidades encontradas em cada unidade de ensino, ampliando assim as formas e os momentos de aprendizagem. Para a realização dos projetos serão propostas atividades através da contação de histórias, da dramatização, de atividades dirigidas e de dinâmicas de grupo, além de metodologias que envolvam a autonomia dos sujeitos aprendentes e o despertar de suas potencialidades. Todo o trabalho intencionará a articulação entre os saberes acadêmicos e aqueles constituídos no cotidiano da escola, além de reafirmar as ações de pesquisa e extensão.
Líder do grupo: Luciene Cléa da Silva
Resumo: O grupo em questão visa discutir questões emergentes na área educacional; promover a pesquisa em educação fronteiriça; estimular a produção bibliográfica e técnica dos componentes do grupo; promover o interesse pela pesquisa educacional junto a graduandos, egressos de licenciaturas e educadores das redes públicas de educação básica. Difundir o conhecimento científico e a informação na área educacional e estimular a participação em eventos científicos da área com apresentação de trabalhos.
Coordenadora: Prof.ª Dra. Rita de Fatima da Silva
Resumo: Ao se pensar uma universidade, principalmente a pública – mais especificamente, cursos de formação de professores numa região de fronteira seca – vê-se acentuada a necessidade de se abarcar essas singularidades. Portanto, o projeto político pedagógico deve ser a materialização de questões tais como: multiculturalidade, identidade, identidade cultural, fronteira, representações no entorno dessas identidades fronteiriças relacionadas: ao ser professor; ao educando; às necessidades especiais; às linguagens, à escola, à família, à sociedade, ao mundo, às aprendizagens, às “ensinagens”, entre outros. Esses elementos devem compor o currículo não de forma “encaixada”, mas a partir de uma construção (a muitas mãos) que legitime as diferenças como condição para o desenvolvimento de um processo de fato formativo e educativo que capacite objetivamente seus sujeitos para o exercício da docência num contexto ainda mais multifacetado – a escola.
Coordenadora: Prof.ª Dra. Rita de Fatima da Silva
Resumo: O grupo de Estudo e Pesquisa em Acessibilidade, congrega pesquisadores interessados em aprofundar sobre questões que envolvem a acessibilidade e inclusão de pessoas que apresentem uma condição de desvantagem acentuada em relação às demais especialmente no ambiente educacional, além de outros espaços destinados à guarda e proteção destas. Prioriza as questões que envolvem a deficiência, as dificuldades de aprendizagem e outros aspectos que possam impedir ou dificultar o desenvolvimento e interação de todos dentro de um desenho universal de mundo. O GEPA tem como linha de pesquisa: Escola, Deficiência e Dificuldade de Aprendizagem na Perspectiva da Acessibilidade e Inclusão.
Coordenadora: Mara Lucieneia Marques Correia Bueno
Resumo: É uma ferramenta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul do Campus de Ponta Porã que pretende auxiliar os estudantes do ensino médio na sua escolha profissional. As informações que são prestadas a esses estudantes ajudam no esclarecimento de suas dúvidas, permitindo uma opção mais consciente de qual profissão seguir. Nesse processo devem, ainda, pesar as aptidões e interesses pessoais, além do aconselhamento que venha a ser dado por familiares, educadores, psicólogos e orientadores. O objetivo é conhecer e esclarecer dúvidas sobra a atuação profissional e mercado de trabalho.​
Coordenadora: Maria Luzia da Silva Santana
Resumo: O homem se constitui como tal mediante as suas interações e trocas no coletivo, ou seja, o ser humano é construído a partir de sua relação no contexto de convivência. Partindo da perspectiva contextualista e interacionista que tem como referências teóricas Vigotski e Bronfenbenner, o projeto de pesquisa tem o objetivo macro de investigar o desenvolvimento cognitivo e psicossocial de crianças e adolescentes em contextos educativos. Para isso, serão realizadas: observações em escolas; entrevistas com professores, estudantes e pais; construção e validação da Escala Multiculturalismo na Escola – (EME). Os resultados poderão possibilitar a problematização do processo de desenvolvimento cognitivo e psicossocial, com ênfase na interação dos estudantes no espaço escolar, a partir de análises dos quatro elementos multidimensionais, inter-relacionados e indissociáveis: Processo- Pessoa- Contexto- Tempo.
Coordenadora: ​Maria Luzia da Silva Santana
Resumo: A Neuropsieducação aglutina conhecimentos oriundos das Neurociências, Educação e Psicologia, numa perspectiva contextualista e interdisciplinar, com vistas na compreensão do processo de ensino-aprendizagem. Nesse viés, o Programa Escola e Neuropsieducação (PENeuroPsiE) busca desenvolver um programa de tecnologia pedagógica que contribua com a formação continuada de professores e a realização de uma prática pedagógica intencionada, que lance mão de atividades para estimulação de funções e habilidades cerebrais de estudantes. O objetivo macro do projeto é avaliar a eficácia do Programa Escola e Neuropsieducação (PENeuroPsiE) no Ensino Fundamental I. E tem como objetivos específicos: construir o PENeuroPsiE; realizar oficinas para apresentação do PENeuroPsiE aos professores do Ensino Fundamental I; capacitar os professores do Ensino Fundamental I para a utilização do PENeuroPsiE; desenvolver as atividades do PENeuroPsiE com estudantes, do 4 e 5 Anos do Ensino Fundamental I; identificar as informações de professores e estudantes sobre as neurociências antes e após as ações educativas realizadas com o PENeuroPsiE. A metodologia envolve a revisão de literatura, a sistematização do PENeuroPsiE, a realização das atividades desse programa em escolas e os procedimentos avaliativos do mesmo. Almeja – se que o PENeuroPsiE contribua com a formação continuada de professores. Além disso, tem a intenção de disponibilizar o PENeuroPsiE, como mais um recurso pedagógico que poderá contribuir com o processo de ensino-aprendizagem.
Coordenadora: Maria Luzia da Silva Santana
Resumo: O design de tecnologia para as crianças tem recebido atenção redobrada durante os últimos anos. As crianças encontram e utilizam vários sistemas de software de forma ubíqua, sem que se deem conta: telefones celulares, jogos diversos, comunicadores na internet. As crianças estão formando uma população bastante experiente no uso dessas tecnologias, de maneira muito diferente das gerações de seus pais [Melo 2008]. Neste contexto, o campo de pesquisa em design de interação e desenvolvimento de ferramentas computacionais para o público infantil aponta ser bastante promissor. Em particular, a cada dia, novas aplicações pedagógicas para o ensino e aprendizagem de crianças estão sendo construídas e disponibilizadas. Entretanto, é preciso que o projeto destas ferramentas seja elaborado de forma a motivar o aprendizado e a garantir uma satisfatória experiência de usabilidade para as crianças. A área da Interação Criança Computador (ICC) busca compreender este universo e direcionar da melhor forma possível o design de interação e o desenvolvimento de ferramentas computacionais focadas no público infantil. Além do desafio de construir aplicações educativas de ICC, que conquistem o público infantil, um desafio ainda maior e urgente é o de garantir a inclusão de crianças com necessidades educativas especiais neste novo ambiente de aprendizado. A proposta deste trabalho consiste então de ações de design e desenvolvimento de aplicações educativas híbridas, que contemplem aspectos fundamentais de acessibilidade na web e de interação criança computador. Pretende-se também construir um website sobre o grupo de pesquisa e suas ações, projetos e propostas desenvolvidas no projeto.
Coordenadora: Maria Luzia da Silva Santana
Resumo: A Neuropsieducação aglutina conhecimentos oriundos das Neurociências, Educação e Psicologia, numa perspectiva contextualista e interdisciplinar, na compreensão do processo de ensino-aprendizagem. Nesse viés, o projeto de extensão “Programa Escola e Neuropsieducação (PENeuroPsiE)” busca desenvolver um programa de tecnologia pedagógica que contribua com a formação continuada de professores e a realização de uma prática pedagógica intencionada, que lance mão de atividades para estimulação de funções e habilidades cerebrais de estudantes. O objetivo macro do projeto é promover ações educativas, no viés da Neuropsieducação, com professores e estudantes do Ensino Fundamental I, mediante o desenvolvimento e disponibilização do PENeuroPsiE. E os objetivos específicos são: construir o PENeuroPsiE; realizar oficinas para apresentação do PENeuroPsiE aos professores do Ensino Fundamental I; capacitar os professores do Ensino Fundamental I para a utilização do PENeuroPsiE; desenvolver as atividades do PENeuroPsiE com estudantes, do 4 e 5 Anos do Ensino Fundamental I; identificar as informações de professores e estudantes sobre as neurociências antes e após as ações educativas com o PENeuroPsiE. A metodologia para execução do projeto envolve a revisão de literatura, a sistematização do PENeuroPsiE, a realização das atividades desse programa em duas escolas e os procedimentos avaliativos do mesmo. Almeja – se que o PENeuroPsiE contribua com a formação continuada de professores. Além disso, tem a intenção de disponibilizar o PENeuroPsiE, como mais um recurso pedagógico que poderá contribuir com o processo de ensino-aprendizagem.

Projetos de Pesquisa

Área: Educação Matemática

Docente Responsável: Prof.ª Claudia Carreira da Rosa

Resumo: O projeto consiste numa investigação sobre mudanças e contribuições, na prática docente de professores de Matemática, no contexto do professor reflexivo, mediadas por um curso de formação continuada com ênfase na Modelagem Matemática no ensino. Consideramos Modelagem Matemática como uma alternativa pedagógica que contribui para o desenvolvimento de habilidades que possibilitam, ao professor, agir com confiança nas situações instáveis e indeterminadas, que podem ocorrer na sala de aula, além de proporcionar situações que são ricas em diferentes Registros de Representação e discussões relacionadas ao conteúdo e a troca de experiências de sala de aula. Nosso estudo pretende buscar elementos característicos do professor reflexivo na sua prática docente utilizando de categorias que serão construídas com base no referencial teórico sobre reflexividade segundo Dewey, Schon e Zeichner. A pesquisa será desenvolvida em três fases, antes, durante e após o curso de formação continuada. Consideramos também que conhecer os objetos a serem ensinados é importante para ações reflexivas, nesta perspectiva, utilizaremos a Teoria dos Registros de Representação Semiótica de Duval para buscar possíveis relações entre o domínio de conteúdo e as ações reflexivas dos professores participantes da pesquisa.


Projetos de Ensino